Tristeza em Alfama

Naquelas noites estreladas
me mergulho numa tristeza profunda
sozinho, deserto num banco,
olhando o céu que me trouxera aqui
Enquanto o mundo nunca para,
nunca suspenderá a dança delirante
a minha vida fica parada, cinzelada
sem futuro sem passado, treva só
As estrelas que te poderia mostrar,
sentindo você nos meus braços,
sorriem para mim e prometem
que o rio do tempo tudo cure
Vagueio pelas ruas as quais brilham
no esplendor da alegria que não sinto
nunca sentia, mas que me lembram
de imagens que espero que sejam minhas
Os beijos dos amantes parecem
a grande ilusão desta noite encantada
enquanto a realidade desachega-se,
só deixa no pó os sonhos desvairados
Caminhava esta viagem mil mil vezes
sozinho e com ideias lontanas
pensando na cidade de cem torres,
um por cada uma lembrança de ti.